Artigo vazado 3cfe278ff33dee042b24656458c3ab911d49bfe80e37cca1757d5a15f05f7b4a
30/06/2020
Os perigos dos alimentos ultraprocessados e industrializados
Data?1569950176
by: Caffeine Academy
Os perigos dos alimentos ultraprocessados e industrializados
Os perigos dos alimentos ultraprocessados e industrializados
O que você vai ler aqui:
  • O que são alimentos industrializados
  • Tipos de alimentos industrializados
  • Principais consequências da má alimentação
  • Priorize os alimentos de origem natural

Os perigos dos alimentos ultraprocessados e industrializados

O estilo de vida que cultivamos ao longo dos últimos 50 anos é titulado como “era da conveniência”, na qual passamos a exigir que as marcas estejam mais próximas da nossa realidade e ofereçam soluções para economizar o bem mais valioso da modernidade: o tempo.

Trabalho, casa, estudos, família e trânsito ocupam boa parte do dia das pessoas que vivem em grandes centros urbanos, que dispõe de menos tempo para se dedicarem a momentos de lazer, cuidados com a saúde ou até mesmo a uma refeição adequada.

Consequentemente, o excesso de atividades diárias transformou nossos hábitos de forma em que passaram a priorizar soluções convenientes e práticas para simplificar a rotina, principalmente no âmbito alimentar.

Pode parecer estranho, mas estamos vivendo um momento em que comemos cada vez mais e nos alimentamos cada vez menos. Como isso é possível? Devido à presença excessiva de alimentos industrializados na rotina alimentar.

Post Relacionado: Fome emocional: saiba o que é e não se sabote

Os industrializados, além de proporcionarem praticidade, têm o propósito de deixar os produtos irresistíveis e são desenvolvidos para serem consumidos sem moderação, tornando-se um dos grandes vilões da vida saudável.

O principal propósito do ultraprocessamento é o de criar produtos industriais prontos para comer, para beber ou para aquecer que sejam capazes de substituir tanto alimentos não processados ou minimamente processados que são naturalmente prontos para consumo, como frutas e castanhas, leite e água, quanto pratos, bebidas, sobremesas e preparações culinárias em geral – Fonte: World Nutrition

O que são alimentos industrializados?

Os alimentos industrializados são aqueles que passam por uma série de etapas, técnicas e também a adição de outros ingredientes e químicos durante o processo de produção.

Em geral, são produtos prontos ou semiprontos para o consumo, produzidos com alta adição de ingredientes, como açúcares, sal, óleos, gorduras, além de substâncias sintetizadas em laboratório, como:

  • Conservantes;
  • Corantes;
  • Emulsificantes;
  • Aromatizantes;
  • Flavorizantes;
  • Estabilizantes.

Existem diversos aditivos químicos presente nesses alimentos, que possuem funções como: dar mais sabor e textura, realçar a cor, aumentar o prazo de validade, evitar que eles pereçam ao longo do transporte e do armazenamento, e até mesmo fazer maior aproveitamento das partes não comestíveis.

Tipos de alimentos industrializados

Os alimentos industrializados podem se dividir em três grupos e para cada um desses existe uma intensidade de alterações nos alimentos naturais.

Os alimentos minimamente processados são aqueles que antes de serem vendidos, passam por processos mínimos, como cortar, lavar, descascar, moer ou receber adição de açúcar e sal. Pode-se destacar os seguintes alimentos:

  • Leite pasteurizado;
  • Carnes em porções, moídas, congeladas ou resfriadas;
  • Grãos secos embalados, como arroz e feijão;
  • Raízes e hortaliças lavados e embalados;

Já os alimentos processados são fabricados pela indústria com a adição de sal, açúcar e também adicionais químicos, capazes de aumentar a durabilidade e que se torne mais agradável ao paladar. Exemplos de alimentos processados:

  • Frutas em calda;
  • Frutas cristalizadas;
  • Queijos;
  • Pães.

Os alimentos ultraprocessados são aqueles que não têm origem em outro lugar a não ser na indústria, ou seja, são alimentos que não se encontram na natureza. Para que ocorra a fabricação desses alimentos, é utilizado várias técnicas, etapas e ingredientes no qual a maioria são desenvolvidos em laboratórios.

Alguns alimentos ultraprocessados:

  • Refrigerantes;
  • Biscoitos recheados;
  • Embutidos;
  • Sorvetes;
  • Salgadinhos.

Principais consequências da má alimentação

Todos os ingredientes e métodos do processamento que citamos a cima alteram desfavoravelmente a composição nutricional dos alimentos, de forma que aumenta o conteúdo de sódio, a quantidade de calorias, entre outras consequências.

Post Relacionado: Porque um alto consumo de açúcares é tão danoso para o organismo?

Inúmeras vezes já mencionamos que comer é diferente de se alimentar: a palavra alimentação significa “ato de abastecer, prover, fornecer, carregar alguma coisa com o necessário ao seu funcionamento”.

Ou seja, o consumo de produtos ultraprocessados podem oferecer uma sensação de saciedade momentânea, mas estes não possuem os nutrientes que o nosso corpo realmente necessita para manter seu pleno funcionamento.

Para se ter uma ideia, a má nutrição é responsável por cerca de 90% das doenças que temos, sendo capaz de aumentar o risco de obesidade, hipertensão, problemas cardiovasculares e até do desenvolvimento de câncer.

Desde 1975, o número de pessoas obesas ou com sobrepeso quase triplicou. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a obesidade já é a segunda principal causa de morte no mundo todo.

No Brasil, uma a cada cinco pessoas tem sobrepeso. E por que isso? Muito por parte dos péssimos hábitos presente no nosso estilo de vida, marcado pela alta ingestão e baixa eliminação das calorias ingeridas diariamente.

Além disso, quando os alimentos são escolhidos pelo direcionamento de calorias, perdemos o foco do que realmente importa que é a nutrição. Quando as calorias vêm de um alimento processado, ela é muito mais nociva a saúde que quando as mesmas calorias vêm de um alimento orgânico.

Um bom exemplo é: se temos a mesma quantidade de calorias em uma porção de brócolis e em uma porção de batatas-fritas, são valores nutricionais totalmente diferentes para o nosso corpo.

Da mesma forma que uma lata de refrigerante, uma fonte de energia vazia para nosso corpo, possui as mesmas 140kcal presentes em cinco xícaras de kale (também conhecida como “couve crespa”), conseguindo entregar a nossa necessidade diária de vitaminas C, K e A, sem falar em magnésio, cálcio, ácido fólico, proteínas e fibras.

Outro perigo dos alimentos ultraprocessados e industrializados também estão diretamente atrelados ao funcionamento cognitivo. O baixo consumo de alimentos com valor nutritivo pode causar uma redução significativa da atenção, raciocínio e memória.


Dê preferência aos alimentos de origem natural

Pesquisas e estudos reforçam cada dia mais o poder dos alimentos naturais, ressaltando o quanto uma boa alimentação pode ser responsável pela reversão dos números de obesidade, diabetes melito (DM), hipertensão arterial sistêmica (HAS), doenças do coração e câncer.

Na maioria dos casos, a substituição de uma dieta pobre por alimentos de verdade é o suficiente para se obter uma melhora significativa. Assim, reforça-se a necessidade inserir alimentos naturais, ricos em vitaminas, minerais e proteínas, na sua rotina alimentar.

Post relacionado: 5 princípios universais da boa nutrição

Planejar suas refeições com antecedência é uma excelente iniciativa para indicar a prática dos bons hábitos alimentares. Além das verduras, legumes, proteínas e frutas que podem ser facilmente adicionadas a alimentação, agregue os superalimento a dieta para alcançar seu bem-estar físico e mental.

Além disso, você também pode contar com produtos de fácil consumo e composição 100% natural como um aliado da correria do dia a dia. Muitas marcas brasileiras têm desenvolvido café instantâneo, sucos, snacks e muito mais, com valor nutricional necessário para facilitar seu acesso a alimentação saudável.


Data?1569950176
AUTOR:
Caffeine Academy
Catalisar todo o potencial humano é o nosso propósito.